Freak, as in freakdom

Um blag sobre cultura, política, memes e… software livre!

Arquivo de dezembro, 2009

Criptografando arquivos com GNU GPG


Hoje eu precisei enviar um arquivo com informações confidenciais através da Internet. Como a única alternativa para o envio era deixá-lo em um servidor público para que o receptor fizesse o download posteriormente, a solução simples e óbvia era criptografá-lo. Em alguns milissegundos o oráculo me mostrou um resultado já esperado:  The GNU Privacy Guard ou, simplesmente, GPG. O GPG é um Pacote GNU que implementa o padrão OpenPGP.

Para criptografar um arquivo com uma chave simétrica (isto é, uma chave que deve ser compartilhada (por um meio seguro) entre remetente e destinatário), é simples:

gpg -c nomedoarquivo

Será requisitada uma senha. Um novo arquivo, nomedoarquivo.gpg, criptografado, será criado no mesmo diretório. Para descritpografá-lo,

gpg nomedoarquivo

O GPG, que é apenas uma interface de linha de comando, possui muito mais recursos, entre eles criptografia assimétrica. No entanto, diversas aplicações gráficas fazem o uso dele como backend.

nenhum comentário

Escrito por Rodrigo R. Silva

dezembro 23rd, 2009 at 7:16 pm

BSD vs GPL

Uma discussão sobre a LibreDWG na lista de e-mail dos alunos da Engenharia de Computação da Poli caiu, como quase toda discussão sobre software livre por lá, em um embate entre licenças GPL-like e BDS-like (estaremos criando nossa própria instância da Lei de Godwin?). Enfim, mexeu-se no vespeiro e começamos a discussão. A discussão deu-se, basicamente, em torno de um argumento: “A BSD é mais livre que a GPL”.

Mas como é possível afirmar que a BSD é mais livre se, no final das contas, o objetivo de quem a usa ou promove é (ou implica em) tirar a liberdade (o acesso ao código fonte modificado e o poder de redistribuição) dos seus usuários finais? Desse modo, eu concordo que a BSD seja mais liberal no âmbito individual, para o sujeito que recebeu o código sob aquela licença, mas para o conjunto de usuários como um todo ela não é mais livre, não é estratégica, não promove a liberdade ativamente.

E, obviamente, GPL e BSD’s tem ao menos um objetivo distinto, na minha opinião: a GPL busca promover ativamente e garantir as liberdades do usuário; a BSD, por outro lado, tem um compromisso com a viabilidade econômica do software*. Eu não vejo cenários onde a BSD seja mais vantajosa do que a GPL do ponto de vista do software livre. Em geral, ela só é vantajosa se tem-se em mente fazer software proprietário.

Desse modo, acredito que não haja acordo (essa é melhor, aquela é melhor), pois são licenças com objetivos diferentes escritas por pessoas com objetivos diferentes. Ambas cumprem muito bem seus papéis.

* Como se software livre não fosse modelo de negócio. Aliás, acho um erro a dicotomia software livre x software comercial que em geral é propagada por algumas empresas “open source”. Quem faz esse tipo de comparação está cometendo um enorme erro conceitual.

3 comentários

Escrito por Rodrigo R. Silva

dezembro 15th, 2009 at 2:09 pm

Publicado em Política,Software Livre

Tagged with , ,

Pior que naufragar é não partir!

Parafraseio Amyr Klink para começar esse blog de uma vez por todas. Há alguns anos tenho essa ideia tão fixa em minha cabeça quanto o emplasto na de Brás Cubas, mas os posts que mais queria publicar não saem do forno (vulgo preguiça). Enfim, comecemos. Com pensamentos pequenos e às vezes desconexos.

Aproveito para deixar mais um trecho de Mar Sem Fim:

Um homem precisa viajar. por sua conta, não por meio de histórias, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para conhecer o calor. E o oposto. sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver. (Amyr Klink)

nenhum comentário

Escrito por Rodrigo R. Silva

dezembro 15th, 2009 at 1:33 pm

Publicado em Sem categoria